Membros do Blog Filhos da Misericórdia...participe também!

quinta-feira, 17 de março de 2011

Temor de Deus e medo de Deus: qual a diferença?

  A Palavra de Deus tem muito a nos dizer sobre o medo. Na verdade, ela menciona dois tipos de medo. O primeiro tipo é benéfico e deve ser encorajado. O segundo tipo é um detrimento e não só deve ser desencorajado, como também superado.


O primeiro tipo de medo é o de ofender a Deus que se chama temor de Deus, que é um dom do Espirito Santo. Não é necessariamente um medo. Ao invés disso, é um temor respeitoso de Deus; uma reverência pelo Seu poder e glória.

Esse tipo de medo também é um respeito adequado à Sua Justiça. Em outras palavras, é um reconhecimento total de tudo que Deus é através de um conhecimento mais profundo dEle e dos Seus atributos.

Temor de Deus traz consigo a Sabedoria como nos diz o Salmo 111,10 : “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; têm bom entendimento todos os que cumprem os seus preceitos; o seu louvor subsiste para sempre”.

Provérbios 1,7 diz: “O temor do Senhor é o princípio do conhecimento; mas os insensatos desprezam a sabedoria e a instrução”. Portanto, podemos ver como tanto a sabedoria quanto o conhecimento começam com o Temor a Deus.

Além disso, Provérbios 19,23 diz: “O temor do Senhor encaminha para a vida; aquele que o tem ficará satisfeito, e mal nenhum o visitará”. Novamente em Provérbios 14,27: “O temor do Senhor é uma fonte de vida, para o homem se desviar dos laços da morte”. Provérbios 14,26 afirma: “No temor do Senhor há firme confiança; e os seus filhos terão um lugar de refúgio”. Nesses versículos podemos ver que o Temor de Deus fornece vida, segurança aos filhos, proteção do maligno, confiança e satisfação.






Em 2 Coríntios 7,1 lemos: "Depositários de tais promessas, caríssimos, purifiquemo-nos de toda imundície da carne e do espírito, realizando plenamente nossa santificação no temor de Deus".Então o Temor de Deus nos leva a Santificação, pois buscamos através dele agradar a Deus de todos os modos possíveis.


Desses versículos podemos ver como o temor de Deus deve ser cultivado e pedido por nós, pois este temor de ofender a Deus nasce do Amor que temos para com Ele, da mesma forma que tememos machucar aqueles que amamos, mas não nos paralizamos em amá-los, antes, fazemos mil gestos concretos para fazermos feliz aqueles que amamos. Da mesma forma acontece com o Temor de Deus.



No entanto, o segundo tipo de medo mencionado na Bíblia não é bom e deve ser superado por nós com a ajuda do Espírito Santo. Esse é o “espírito de medo” mencionado em 2 Timóteo 1,7, onde diz: “Porque Deus não nos deu o espírito de covardia, mas de força, de amor e de moderação”. Podemos ver desde o início que esse tipo de medo não vem de Deus.

No entanto, às vezes estamos com medo, às vezes esse “espírito de medo” vem sobre nós, e para ter vitória sobre esse sentimento, precisamos confiar e amar a Deus completamente. 1 João 4,18 nos diz: “No amor não há medo, antes o perfeito amor lança fora o medo; porque o medo envolve castigo; e quem tem medo não está aperfeiçoado no amor”.

No entanto, Deus sabe que somos fracos e muitas vezes cedemos á esse medo. Por isso Ele espalhou em sua Palavra o termo "Não temas" ou expressões semelhantes como "não tenhais medo", "tende coragem". E sabe quantas vezes? 365 vezes! Que dizer que a cada dia do ano encontramos a Palavra de Deus que nos encoraja a lutarmos contra o medo. Começando com o livro do Gênesis e continuando até o livro do Apocalipse, Deus nos diz para não temer.

Por exemplo, Isaías 41,10 nos encoraja: “não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça”.

Novamente em Daniel 10,12, o anjo do Senhor encoraja a Daniel: “Então me disse: Não temas, Daniel; porque desde o primeiro dia em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras, e por causa das tuas palavras eu vim”.

 Jesus disse no Novo Testamento: “Não temais, pois; mais valeis vós do que muitos passarinhos” (Mateus 10,31).

Esses versículos se referem a muitos tipos diferentes de medo. Deus nos diz para não ter medo de ficarmos sozinhos, de sermos muito fracos, de ninguém nos escutar, e para não temer por nossas necessidades físicas. Essas admoestações estão presentes por toda a Palavra de Deus e se referem aos vários aspectos do “espírito de medo”.

No entanto, esses “não temais” dependem de colocarmos nossa confiança e fé no Senhor. No Salmo 56,11, o salmista escreve: “em Deus ponho a minha confiança, e não terei medo; que me pode fazer o homem?”


Esse é um testemunho maravilhoso do poder da confiança em Deus. O que o salmista está dizendo é que independentemente do que acontecer, ele vai continuar confiando em Deus. O segredo para superar o medo, então, é confiança total e completa em Deus.

Confiar em Deus é uma recusa de se entregar ao medo. É voltar-se a Deus mesmo nos tempos de escuridão e confiar que Ele vai consertar as coisas. Essa confiança vem de conhecer a Deus e saber que Ele é um Deus bom que cuida de nós com mais amor que a melhor das mães cuida de seu bebezinho.


Quando tivermos aprendido a confiar em Deus, não mais teremos medo das coisas que temos que enfrentar. Diremos como o salmista: “Mas alegrem-se todos os que confiam em ti; exultem eternamente, porquanto tu os defendes; sim, gloriem-se em ti os que amam o teu nome” Salmo 5,11.

Quando criança, muitas vezes, ouvi: “Não faça isso, porque Deus castiga! Não faça aquilo, porque Deus castiga!” Penso que sem querer e sem ter consciência, muitas vezes, nossos pais falaram assim conosco.

Lembro-me de que sentia um certo medo de Deus, medo que se manifestava até da seguinte maneira: Quando via o padre da minha terra, passava correndo perto dele e gritava: "A sua bênção, padre!"


Algumas vezes, o medo era tanto que sonhava que estava sendo 'punido' por Deus por ter feito alguma arte durante o dia. Gostava de Deus, mas, só de pensar em ser castigado por Ele sentia arrepios. Fui crescendo e esta imagem negativa de Deus foi me acompanhando.


Pensava que o Senhor castigava os maus e premiava os bons. Era assim que eu O via, pois, esta era a imagem que me tinham dado d'Ele. Somente aos poucos – quando conheci a devoção à Divina Misericórdia – é que esta imagem foi desaparecendo pouco a pouco do meu coração.


Algumas palavras de Jesus como estas: "Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como o escarlate" (Diário de Santa Faustina, número 699) E "Quanto maior o pecador, tanto maiores direitos tem à Minha Misericórdia" (ibidem. número 723) "Que a alma fraca, pecadora, não tenha medo de se aproximar de Mim, pois, mesmo que os seus pecados fossem mais numerosos que os grãos de areia da terra, ainda assim seriam submersos no abismo da Minha Misericórdia" (ib. nº 1059).



Lendo e rezando com estas e outras palavras de Jesus Misericordioso, o medo que sentia de Deus foi desaparecendo do meu coração e esse sentimento foi sendo substituído por uma confiança profunda e real em Jesus.

Hoje, sinto Jesus meu amigo, vejo-O como Alguém que está perto de mim, que me ama e me quer feliz. Sou feliz por isso. Em mim se realizam as palavras de Jesus: "A alma que confiar na Minha Misericórdia é a mais feliz, porque Eu mesmo cuido dela" (ib. nº 1273).

Por isso na Palavra, Deus também nos pede que joguemos fora o medo: “No amor não há medo; ao contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor.” ( I João 4,18 )


Chegar a Deus? Através de Jesus. Chegar a Jesus? Só amando o próximo. Chegar ao próximo? Espontaneidade, determinação, e AMOR.
Não vamos deixar o medo lançar fora o amor!

Bom Dia!

2 comentários:

OSWALDO DE PAULA GARCIA disse...

"NÃO TEMAS" - 365 vezes?! Na Bíblia "Ave Maria" só aparece 42.

leonardo franco mota disse...

Não necessariamente na expressão literal NÃO TEMAS. Aparece com formas diferentes, mas com o mesmo sentido: “Não tenham medo”; Não tenhais medo”; “Tende coragem”; O que se quer dizer com esse número é que Deus nos dá sempre coragem para enfrentarmos nossos medos.